terça-feira, 6 de novembro de 2012

À PROCURA

Onde você foi parar? Como que você some assim, de repente, sem me avisar? Eu estava de bobeira e nem te vi sair? Por onde você escapou que eu não vi? Ou será que minha visão estava assim tão escurecida que não te vi escapulir? Ah! Verônica, eu contava com a sua presença aqui, agora para fazer algumas coisas que adoro, mas para as quais não me sobra mais nem um minuto.
Dizem que o tempo perdido não volta mais, no entanto custo a acreditar que você seria capaz de me largar dessa maneira, depois de tudo que vivemos. Será verdade que o tempo é cruel? Terão sido em vão os lindos momentos que desperdiçamos juntas? As horas e horas pensando besteiras, com minhas intermináveis meditações?
É quando si é jovem, o tempo que se perde não faz tanta falta. Você passava e eu nem ligava. Agora, corro atrás de cada instante que, um dia, joguei fora sem te dar a devida e necessária atenção.
Querida Verônica, queria muito que você voltasse. Poderíamos ir a um cinema, jantar fora, passear à toa pelas calçadas. Com o tempo ao nosso lado, a vida definitivamente ficaria mais fácil. Bem mais fácil. Muito mais fácil.
Sei que você não pára, que também está sempre na correria, contudo não perco a esperança de ainda ter você inteira, só pra mim. Vejo, no espelho, as marcas que ganhei, e muitas outras delas quero ter antes de a morte chegar.
O que posso prometer para que você retorne? Que eu vou aproveitar você melhor? Que vou dar mais valor às suas lições? Que não te perderei mais por bobagens?
Ajoelho-me diante de você Verônica, e juro nunca mais vou vacilar contigo, pois sei que vales muito.
Devo, entretanto, avisar que não pretendo te esquecer nem deixar você em paz. Pode correr. Pode fugir, que vou em busca de você, onde estiver. Cancelarei compromissos, emendarei feridos, mas tenho certeza de que te encontrarei de novo. Nem que seja por um só segundo.
Quem sabe, então, quando estivermos frente à frente, verei que você não se foi em vão, que foi porque tinha mesmo que ir, passando em silêncio como todos nós devemos passar.
E que, na sua falta, não a terei perdido, porém eternizado.

Saudades de você Verônica

6 comentários:

  1. *。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆
    Miguxinha essa é uma carta de despedida?
    De alguém que vc não quer mais?
    Bom gostei de ler, se for um texto é valioso
    pq mostra o arrependimento de um alguém que
    perdeu o outro.....
    Abraços com muito carinho pra você
    Bjuss
    Rita!!!!
    *。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆

    ResponderExcluir
  2. Uma carta de uma amiga que anda com saudade de você, Vevê?
    Fiquei curiosaaaaaa agora =D

    Beijosss

    ResponderExcluir
  3. Muito legal essa carta e triste ao mesmo tempo!!!
    Beijos, Vê!!!

    http://www.perfumesdapam.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Veeee!
    Explica pra gente.
    Bjão
    Fica com DEUS.

    www.mixdanany.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei de ler e do texto, mas fiquei um pouco "perdida" com esse desabafo... Mas, sentimentos são assim mesmo, só conseguem defini-los aqueles que o sentem.

    Beijo

    ResponderExcluir

Olááá!!!! Fico muito feliz por seu comentário. Deixe o link do teu blog que irei dá uma visitinha por lá. Obrigada e um grande beijo.